Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP

domingo, junho 15, 2008

Política de reflorestamento


Tramita pela Câmara dos Deputados projeto de lei de autoria do deputado Manato (PDT-ES), que obriga, entre outras situações, o plantio de árvores em caso de casamento e de divórcio.

10 árvores em caso de casamento; 25 em caso de divórcio. Vinte e cinco???

É, 25. Segundo o genial raciocínio do autor do projeto, quando as famílias se dividem e vão morar separadas, há maior ocupação de espaço e maior consumo de energia e água. Daí a necessidade de mais que o dobro do número de árvores do que quando se casam. Ele deve imaginar, por exemplo, que mulheres divorciadas tomam mais banho que as casadas, uma vez que precisam estar mais cheirosas para conquistar um novo par. É, faz sentido.

Resumindo: como se não bastassem as dolorosas questões inerentes a qualquer divórcio, por mais amigável que seja ele, como divisão de bens, separação de corpos, separação de objetos cuja propriedade se confundiu ao longo do tempo, explicar para os filhos o que acontece, saudade dos filhos, saudade um do outro, confusão na hora de tratar o ex-parceiro que foi seu marido/mulher por tanto tempo, mudança de casa, abrir mão de amigos algumas vezes, as lembranças aqui e ali, os espaços vazios dentro dos armários e mais uma montanha de coisas que certamente não cabem nas linhas de um blog, as pessoas que se divorciam ainda terão que pagar o preço por não terem sido capazes de manter o compromisso firmado. Além, é claro, no caso de serem católicas, de não poderem mais se casar na igreja, nem comungar, nem ir para o céu quando morrerem.

O que, do ponto de vista ecológico, faz com que a dissolução do casamento seja muito mais benéfico para o planeta. Se você se casa, duas pessoas juntas têm de plantar 10 árvores. Se essas duas pessoas não se separarem, não precisam plantar mais nada, e se tiverem filhos, estão contribuindo de maneira decisiva para o aumento do consumo de energia, água e outros recursos naturais, diretamente proporcional ao número de filhos que tiverem. Tudo isso na conta daquelas 10 arvrinhas do começo da vida a dois.

Por outro lado, quanto mais rápido duas pessoas se divorciarem, mais elas estarão preservando o planeta, porque não terão tempo de ter muitos filhos - se forem realmente rápidas, não terão tempo de ter nenhum, o que, sob o ponto de vista do excelentíssimo deputado Manato, já os candidata a receber uma medalha de honra ao mérito do Greenpeace - e de cara já terão de plantar 25 árvores.

Levando em conta que pessoas divorciadas têm a possibilidade de se casar de novo, eis que o nobre deputado acaba de propor a multiplicação das árvores. Eu explico: os noivos plantam 10 árvores, certo? e os divorciados, 25. Só aí, temos 60 árvores: 10 dos noivos, que fazem tudo juntos, e 50 dos divorciados, 25 cada um, pois divorciados não fazem nada juntos. Quando cada um dos divorciados se casa novamente, cada um planta, junto com seu novo par, mais 10 árvores. Isso significa que cada casal original, divorciando-se apenas uma única vez e casando-se novamente tem potencial para o plantio de 80 novas árvores!

Não é maravilhoso que tenhamos parlamentares capazes de propor coisas tão geniais? E a gente aqui preocupadíssima, achando que a Amazônia ia acabar, olha só que bobagem!

11 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Aqui em casa tem um balde de meia branca de adolescente pra lavar e um cachorro pra cuidar, se ele achar que está com tempo.
Bjs. Rosana.

9:11 PM  
Blogger Cláudia disse...

Seria mais proveitoso, certamente.
beijo

9:17 PM  
Anonymous Adauto disse...

Simplesmente perfeito! Texto lúcido ao extremo, com as doses de crítica, humor e ironia nos momentos e quantidades exatas! Já agendei um "recortar-e-colar" para amanhã de manhã...

9:19 PM  
Blogger Virgínia disse...

Infelizmnete essas pessoas são eleitas por nós. Parlamentarem sem o mínimo conhecimento de leis e política ou até mesmo do português. Que estão lá para defender o seu ponto de vista (vide das bancandas religiosas, etc) ou para fazer algo e assim aparecer, ganhando a chance de concorrer novamente e ganhar.
Agora me diga: para que serve o Clodovil? O Frank Aguiar? Ou até mesmo o finado Enéias... é triste. Bj

9:39 AM  
Blogger Cláudia disse...

Adauto, obrigada, mas a idéia estapafúrdia ajuda a compor grande parte do texto, não acha? É o país da piada pronta, como diz o José Simão.

Virgínia, concordo com você, e acho que, para mudar isso, só a imprensa relatando sempre os absurdos que são propostos.

beijo

11:09 AM  
Blogger Re disse...

Este cara é um gênio.
Ele disse aonde estas árvores serão plantadas?
No apartamento? Na Av. Paulista? Ou teremos todos que viajar para a Amazônia?
Fiquei muito intrigada agora.
Quantas árvores devo plantar se moro longe do meu marido?
E depois se formos morar juntos de novo devemos desmatar as árvores plantadas a mais?
Ah! Clau, não vou nem dormir mais pensando nisso....
beijos
Re

11:12 AM  
Blogger Cláudia disse...

Re, você é uma fraude. Casou, mas mora em casa separada, e só vai plantar 10 árvores???? Como assim?
Será que, se plantar a mais, pode ficar de crédito pra alguma amiga que se casar? Ou plantou a mais, se danou? Ou fica de credito pro caso de se divorciar?
Se algum dos seus cachorros cruzar, é considerado casamento? E se cruzar com mais de uma cadela, considera-se casamento + divorcio + novo casamento?
Também perdi o sono...
beijo

11:23 AM  
Blogger Re disse...

Clau,
Nem tinha pensado nos meus cães....
Peteka é castrada, mas Zezinho não é, nem o Fuka, já devo plantar árvores extras para o caso deles terem cruzado por aí sem eu saber?
Mas ONDE SERÃO PLANTADAS AS ÁRVORES???
Isso sim me intriga, pois eu devo plantar pessoalmente ou mandar um representante legal? Se eu estiver grávida e não puder plantar, no momento, pago multa?
E quem vai adubar a terra para a minha árvore crescer?
E se um raio cair e matar a minha árvore, eu tenho que replanta-la? Como vou saber?
Affff. Nunca mais vou dormir....
beijos
Re

12:23 PM  
Blogger Cláudia disse...

Re, aqui no bairro tem um monte de terreno baldio, tudo cheio de árvore. Temos então, duas alternativas:
a) afofar a terra em volta e dizer que acabou de plantar aquela mudinha de 15 m de altura;
b) arrancar as árvores do terreno, queimar tudo e plantar as suas 10 mudinhas de 15 cm de altura no lugar.
Tudo adubado com aquele adubo sugerido no comentário do seu post.
beijo

5:15 PM  
Blogger Re disse...

Olha como o ser em questão que vai virar abudo é gordo, podemos plantar umas mudas a mais, vai que depois não achamos mais espaços vazios na região...
Assim a gente já fica livre, ou vendemos isso como um novo negócio inédito na região. Ficaremos ricas.
beijos
Scarlet sócia

7:30 PM  
Blogger Cláudia disse...

Scarlett capitalista, você acaba de descobrir um novo negócio: case-se ou divorcie-se tranquilo que nós plantamos suas mudas!
Bora treinar a cachorrada pra aprender a cavucar os buracos e fazer jus à ração.
bj

3:33 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial