Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Aninha



Se estivesse viva, ela faria hoje dez aninhos.

Faz três anos que ela se foi, vítima de um linfoma que resistiu a cirurgia e tratamento quimioterápico.

Era uma gatinha meiga, companheira, doce e muito, muito mansinha. Chegou aqui em casa magrelinha, de tão mal-cuidada, com verme, pulga, sarna e infecção de ouvido. Uma coisinha feinha, parecia um morcego. Paixão à primeira vista.

Ao contrário da Cindy, que é levada e agitada, o grande prazer da vida da Aninha era ficar no colo da gente. Ou correr para o seu tapetinho preferido quando pegávamos a rascadeira para escovar seu pelo, que ela adorava. E quando chegávamos em casa, ela corria para este mesmo tapetinho e se virava de barriga pra cima, pra gente coçar.

Ela morreu no mesmo fim de semana em que a Cindy foi abandonada dentro de uma caixinha, na porta do veterinário, e até hoje gostamos de pensar que foi ela quem mandou a Cindy pra nós, pra diminuir a tristeza pela sua ausência.

9 Comentários:

Blogger MH disse...

aaaaaaaaaaaaaaah...

triste ela ter ido assim, mas lindo ter deixado a Cindy de presente! E ela deve ter sido mesmo uma companheira incrível!

beijo

9:48 AM  
Blogger Yara disse...

Onnnn... lá em casa já teve a Monica, o Chuchu, o Lambão, o Curdo, o Vidão... pena que foram todos antes da era da máquina digital, deixaram só saudades e nenhuma foto. Com certeza que Aninha foi quem mandou a Cindy de presente pra vocês. Agora Aninha vive no céu dos gatos, onde tem sol o dia inteiro, atum aos montes, milhares de ratos e bolas de nuvens pra atirar no céu dos cachorros, que fica ao lado :o)

9:56 AM  
Blogger Renatinha disse...

Com certeza foi Aninha que mandou a Cindy quebra barraco...
Estou aqui chorando só de pensar na saudades que ela não deixou....
beijos
Re

10:57 AM  
Blogger Cláudia disse...

Meninas
A Aninha era mesmo especial e foi uma grande companheirinha nos momentos difíceis da minha separação.
Um docinho de bicho e merece mesmo o céu dos gatinhos, com tudo de bom que existe nele.
beijo

2:44 PM  
Blogger Unknown disse...

Rodando por aí, encontrei seu blog.
Não podia deixar de comentar.
AMO GATOS.
A história que você contou me emocionou muito.
Ela era uma gatinha muito linda.
Eu tive uma siamesa, a Lili, que foi o meu xodó.
Hoje tenho uma vira-lata que está com 14 anos. Encontrei na rua. Ela não tinha nem um mês ainda.
E viva a Cindy por trazer a alegria de volta.
Beijão

9:40 PM  
Blogger Cláudia disse...

Celamar, bem vinda. Gato é tudo de bom e é um bichinho injustiçado e incompreendido. Estará sempre em desvantagem enquanto as pessoas não entenderem que ele não é um cachorro, e portanto não deve ser comparado a um.
Lendo o blog vc vai encontrar muitas histórias da Cindy.
bj

11:53 PM  
Blogger Nana disse...

Lindo! Lembrei da minha Bruna que, ao contrário da Valentina, era uma cachorra com alma de gata!

4:49 AM  
Blogger Dedinhos Nervosos disse...

Coisa mais linda a Aninha, gente. E mansa! Eu tenho 1 siamês que é mto bravo. Detesta que pegue ele no colo, acredita? Eel só deita quando quer. Se alguém pegar, ele morde ou arranha. Mas isso é bom, pq ninguém ousa roubá-lo. E já perdi tantos gatos assim. rsrs
Bjos!

2:31 PM  
Blogger Cláudia disse...

nana, cachorro também é uma delícia, que Cindy não me ouça.

Dedinhos, a Aninha amava colo. Já a Cindy detesta, mas não arranha nem morde, só fica lá dando uns miadinhos desesperados para sair.

beijo

7:35 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial