Minha foto
Nome:
Local: São Paulo, SP

quarta-feira, maio 06, 2009

Sobre avós

É um mistério para mim o sentimento dos avós pelos netinhos. Por mais que se explique, ou ao menos as avós tentam explicar, acho que dimensionar mesmo só quando eu me tornar uma avó - filha, não pra agora, bem entendido, certo?

Já ouvi declarações como os netos são a sobremesa da vida ou netos são filhos com açúcar, e até a divertidíssima declaração da falecida vó Galdina de que o avô é um burro, que o filhos amansa para o neto montar. Tudo verdade. Lembro até hoje de quando eu estava grávida da Isabela. Por parte dos meus pais, já havia o Estevam, filho mais velho da minha irmã, alguns meses apenas mais velho que a Belinha. Mas pelo lado do pai dela, ela seria a primeira neta, primeira bisneta, primeira sobrinha, primeira tudo.

Meu ex-sogro gostava de alardear que com ele não tinha esse negócio não, que neto não ia fazer o que ele quisesse na casa dele não, que ele ia dar dura quando precisasse etc e tal. Minha mãe, que era avó de poucos meses mas já sabia que o bicho pegava, disse que ele seria avô de ficar de quatro pro neto brincar de cavalinho.

Ele duvidou. Mais que duvidou, só faltou apostar que arrancava o braço direito se fizesse isso algum dia.

Nada como o tempo que passa para curar feridas, amores, lembranças, saudades... e para mostrar que as coisas não são bem assim como imaginamos, desejamos ou acreditamos. Um belo dia, eu de férias em Brasília, Bela com uns 3 aninhos de idade, meus pais vão até a casa dos meus ex-sogros para nos ver, porque estávamos hospedados lá e encontram que cena? Meu ex-sogro, de quatro no chão da sala, com Isabela montada nas costas dele, com um chapéu de caubói que ela adorava, brincando de... cavalinho!

Minha mãe não precisou dizer nada. Um olhou pra cara do outro e ambos caíram na gargalhada.

Hoje, na confecção, levei um presente para a netinha da faxineira, que nasceu há aproximadamente 15 dias, a Maria Clara. Entreguei o pacotinho, ela abriu e tirou de dentro uma roupinha toda cor-de-rosa, de inverno, bem fofinha. Pois ela se abraçou com a roupa, beijou a roupinha, disse que era a cara dela, que ela ia ficar ainda mais linda, e que ela era isso, e aquilo, e mais aquilo outro. Só faltou pedir pra ir embora mais cedo pra lamber a neta - porque as férias na época da neném nascer ela já tinha tirado.

Então eu acho que a sobremesa da vida não são os netos. Avós é que são, e quem tem a sorte de ter avós amorosos por perto, começa a refeição pela parte mais gostosa!

8 Comentários:

Blogger Pri... disse...

Ai que texto lindo e gostoso! Vejo a relação que meus pais têm com a minha filha e concordo com vc. E sabe a sorte maior? Ela ainda tem duas bisavós super lúcidas, ativas e que paparicam geral. Beijo pra vc!

8:27 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Vou te contar um quase segredo: Tô louca para ser avó. Tive meus filhotes muito nova, trabalho, vontade de curtir a juventude e privações naturais da maternidade não em permitiram curtir meus bebês. Agora estou no ponto, madura, vida estável e tempo bastante para ser irresponsavelmente AVÓ.E de quebra um grande companheiro com a mesma disposição para ser AVÔ. Só faltam os netinhos.

12:35 AM  
Anonymous Neca disse...

Ops. O comentário aí em cima é meu. Pouca prática...

12:37 AM  
Blogger Cláudia disse...

Neca!
Você por aqui, que delícia, minha amiga!!!!
Imagino você avó... toda doce com a netaiada, espero que seus netinhos venham logo, para você ter tempo de curtir bastante e ainda virar bisavó!

Pri, não é mesmo? Lamento muito ter morado sempre longe dos avós da Bela, e por conta disso ela sempre foi muito pra Brasília pra não perder a chance de conviver com eles sempre que fosse possível.

beijo

8:48 AM  
Anonymous vivi disse...

Humm, Cláu...
Jà tá pronta pra ser vovó? é isso?
Beijinho

2:26 PM  
Blogger Cláudia disse...

Nada, vivi, a Bela tem só 18, tem chão ainda pela frente!
beijo

11:23 PM  
Anonymous Anônimo disse...

Pois é, e a macacada aqui em casa aproveita, é vô compra isso, vó faz isso preu comer, exploração pura, simples e descarada. Mas se passar um dia sem explorar, eles ligam desesperados pra saber o que está acontecendo.
Bjs Rosana.

9:02 AM  
Blogger ANNA disse...

Nem me fale... vejo a doçura dos meus pais pelo meu filho e minha sobrinha. Fazem o que podem e o que não podem, o que devem e o que não devem para vê-los felizes e satisfeitos.
Sorte dos pequenos!
Beijo
urbAnna

5:49 PM  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial